Pular para o conteúdo principal

UNLOCKERS 2019

19

O digital não é mais novidade para ninguém. Faz parte do dia-a-dia das pessoas e das empresas. A grande questão é que é preciso inovar rápido. Diversos estudos apontam que as grandes corporações que não se reinventarem, não sobreviverão. A Olin School of Business, por exemplo, mostra que 40% das empresas que fazem parte hoje da lista Fortune500, deixarão de existir até 2025.

Para conseguir se reinventar, existem algumas saídas para as grandes corporações e, talvez, a mais eficiente delas é incentivar pessoas inovadoras a se tornarem intraempreendedores bem-sucedidos dentro da própria companhia. Assim é possível manter a eficiência, sem deixar de lado a inovação e a disrupção.

Na MuchMore, chamamos esses intraempreendedores e intra-inovadores de Unlockers, aqueles que ajudam a destravar ideias inovadoras. São pessoas que implementam negócios digitais de alta performance nas empresas, associações, entidades, na academia e em governos, levando-as para o futuro.

Para colocar um pouco de luz nesses Unlockers, selecionamos 21 nomes de Unlockers Digitais 2019 em vários segmentos durante mais de 06 semanas conversando e debatendo junto com um comitê de especialistas do mercado brasileiro (veja abaixo quem participou).

O que eles têm em comum? Vivem na versão beta, aprendendo e testando ao mesmo tempo, usando muito o cérebro e deixando as ideias fluírem, com autonomia e uma visão e estrutura financeira pensada para o longo prazo.

Não montamos a lista perfeita, nem a lista definitiva! Mas uma lista que mostra que muita gente está colaborando com suas organizações – e até correndo riscos no processo – levando-as a pensar fora do padrão, rumo a novos negócios digitais.

Certamente tem gente que ficou de fora da lista e talvez você discorde de um ou outro nome que entrou, mas, isso é o que menos importa, pois queremos dar visibilidade a um grupo de pessoas inconformadas, quase uns desajustados, que colocam muitas vezes sua própria carreira em risco para que suas organizações tenham um futuro em um mundo em mudanças exponenciais.

Não é fácil ser um Unlocker e essas pessoas merecem um destaque!

Na nossa lista, não incluímos os empreendedores digitais, que já são “disruptores” por essência, Unlockers por natureza, portanto não fazem parte dessa lista.

Aproveitamos esse momento para um agradecimento muito especial ao nosso comitê, que de forma super dedicada, nos ajudou a selecionar os Unlockers Digitais 2019 brasileiros deste ano de 2019 que você CLIQUE vai ver logo. São eles: Bia Granja, Demi Getschko, Eduardo Peixoto, Fiamma Zarife, Luli Radfahrer, Manoel Lemos, Leandro Herrera e Pyr Marcondes. Participaram da seleção dos Unlocker Digitais Silvio Meira, Ariela Primo, Bruno Encarnação e Bob Wollheim.

 

Com formação em Design, Adriana Knackfuss, diretora de Comunicação Integrada de Marketing da Coca-Cola Brasil, construiu a carreira em marketing digital. À frente da área de comunicação integrada de Marketing da empresa no Brasil conseguiu implantar uma estrutura de real-time marketing. Com dados de fontes diversas – redes sociais, hábitos de compra, comportamento do consumidor, entre outros –, a estrutura de real-time MKT da Coca-Cola consegue fazer uma leitura mais precisa do que está acontecendo hoje e prever com mais assertividade os movimentos para o futuro. Em 2016, Adriana teve um papel fundamental no lançamento da nova estratégia global da companhia. O time brasileiro contribuiu especialmente para a parte de mídia digital da campanha.

 

 

 

Diretora de área de Soluções de Marketing do LinkedIn para a América Latina. Com mais de 15 anos de experiência no mercado de internet e mídia, Ana atuou em big players do setor de tecnologia, como Yahoo! e Microsoft. Segundo Ana Moisés, o IAB Brasil tem percorrido um processo de evolução consistente e contínuo. “A entidade mudou muito desde que comecei a acompanhar os trabalhos. Percebo que, atualmente, há foco em temas mais delicados para o mercado, os quais estão sendo colocados na mesa e tratados com a urgência que merecem. São exemplos as ações de conscientização referentes a brand safety e fraudes digitais”, argumenta. “Para o próximo ano, pretendo adicionar à agenda e liderar discussões sobre a sustentabilidade na publicidade digital.”

 

 

 

É CEO da Endeavor Brasil – organização global de fomento ao empreendedorismo de alto impacto presente em +30 países e há 18 anos no Brasil. Assumiu o desafio em fevereiro de 2018, com a missão de promover um ecossistema que estimule cada vez mais o crescimento e o impacto de empreendedores à frente de Scale-ups. Foi recentemente reconhecida pela revista Forbes como uma das mulheres mais poderosas do Brasil. Nos cinco anos em que trabalhou na organização antes de assumir o cargo, teve a bem-sucedida missão de liderar iniciativas para escalar o impacto da organização, ajudando a pautar o debate público sobre o alto crescimento, e liderando iniciativas como o Scale-up Summit, o Day1 e o Portal Endeavor, que ajudou a inspirar e capacitar milhões de empreendedores.

 

 

 

Aos 23 anos, recém-formado no curso de engenharia da computação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), César Gon abriu uma startup focada no desenvolvimento de softwares com dois colegas de faculdade, Bruno Guiçardi e Fernando Matt, que continuam na direção do negócio. Assim nascia, em 1995, a CI&T. “Era um momento diferente, com o início da internet comercial como ferramenta de negócios no Brasil e no mundo”, recorda-se Gon, hoje com 47 anos. A empresa prosperou, internacionalizou-se e virou uma multinacional com escritórios nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, China e Japão.

 

 

 

Com passagens pela IBM, Unilever e Heineken, Daniela Cachich é hoje vice-presidente de marketing na divisão de alimentos da PepsiCo, além de responder pelas áreas de inovação, SAC e consumer insights da empresa. Liderou a construção da marca Heineken no Brasil, levando a operação Brasileira a passar de 17º para 4º lugar em importância de volume para a marca no mundo. Daniela conseguiu posicionar a empresa no mercado de forma consistente e com um orçamento bem menor do que suas concorrentes diretas. Agora, na PepsiCo, promete destravar negócios promissores para a companhia.

 

 

 

Daniela Mignani começou sua trajetória profissional com passagens pelo Banco Nacional, Infoglobo e Grupo Multiplan – Renasce. Em 2000, ingressou na GLOBOSAT onde se especializaria no mercado de televisão por assinatura. Foi Gerente de Marketing no então USA Channel (atual Universal) e no Multishow. Em 2010, chegou ao GNT, também como Gerente de Marketing, e participou diretamente da elaboração e lançamento da nova grade do canal, em março de 2011. Em agosto do mesmo ano, assumiu a Direção do GNT. Em janeiro de 2014, assumiu também a Direção do Canal Mais Globosat.

 

 

 

Pesquisar tendências e inovações na área da comunicação digital é o que faz o professor Eric Messa, Gestor do Núcleo de Inovação em Mídia Digital e professor da Faculdade de Comunicação e Marketing na FAAP. O Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) tem como propósito estimular o desenvolvimento da linguagem digital no campo da comunicação e estabelecer uma aproximação do mercado profissional com o ambiente acadêmico. O NiMD oferece um espaço de encontro exclusivo para que gestores, profissionais e estudantes de comunicação possam discutir e produzir conhecimento acerca da evolução da comunicação e do relacionamento entre marcas e seus consumidores. O objetivo é desenvolver profissionais de comunicação capacitados a criar soluções inovadoras.

 

 

 

No ano 2000, quando apenas 2,9% dos brasileiros usavam a internet, Fred Trajano entrava na empresa da família, a Magazine Luiza, para implantar a operação de comércio eletrônico, que ainda engatinhava no Brasil. Foi ele, com 24 anos, que mostrou a urgência de investir no digital para garantir o crescimento da companhia a longo prazo, um ponto de inflexão de inovação, que segundo ele, poderia acabar com o negócio. Trajano estava certo. Hoje, o comércio eletrônico representa cera de 22% do faturamento da empresa. De lá para cá, Trajano assumiu as áreas de marketing, logística e vendas, antes de assumir a presidência do Magazine Luiza, em 2016. 

 

 

 

Frederico Battaglia é o diretor de Brand Marketing Communication da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) para a América Latina. Engenheiro Mecânico formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) com mestrado em Gestão de Marketing pela Università degli Studi di Torino, na Itália, Battaglia desenvolveu sua carreira no setor automotivo no Brasil e no exterior. Em sua posição anterior, respondia pela Diretoria Comercial da Peugeot Brasil, empresa na qual ocupou também o posto de Diretor de Marketing entre 2011 e 2016.

 

 

 

É jornalista pós graduado em estatística. Passou por agências de como Publicis, JTW e Africa. Foi sócio do grupo TBWA no Brasil e antes de assumir como CMO do Santander desempenhava a função de Vice Presidente de Inovação da DM9. Foi o mais jovem indicado ao Caboré entre todas as edições, além de ter sido o primeiro Young Lions de Mídia brasileiro no festival de Cannes. Já presidiu o júri de Cyber no El Sol e foi membro de do júri em festivais como NY, Londres, Clio e Cannes. Ano passado além de ter sido escolhido o profissional de digital de ano pela Associação dos Profissionais de Propaganda, também ficou entre os 10 publicitários mais lembrados do país pela pesquisa Agency Scope do grupo Consultores.

 

 

 

Diretora-executiva de Comunicação e Marketing da administradora de shopping centers Aliansce Sonae A executiva tem grande experiência na área de comunicação em shoppings. Ajudou no processo de transformação digital e implantação do marketplace da empresa, na formulação de estratégias de comunicação e marketing da companhia e na otimização da jornada do consumidor nos empreendimentos da empresa. 

 

 

 

CEO da Accenture, Leonardo Framil está na companhia desde 1992. Acumula 24 anos de experiência em consultoria, com atuação nos setores de bancos, seguros e mercado de capitais. É pós-graduado em Engenharia de Telecomunicações pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e tem mestrado em Finanças pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC).

 

 

 

No Brasil, bancos e tecnologias sempre andaram próximos. O setor bancário foi um dos primeiros a se digitalizar e a oferecer serviços digitais. O economista Luca Cavalcanti atua no setor bancário desde 1983. No Bradesco foi diretor de Marketing, Diretor do Bradesco Dia & Noite, diretor de Canais Digitais do Bradesco e hoje atua também da Fundação Bradesco. Foi responsável pelo processo de digitalização do banco em diversas etapas. Para Cavalcanti, mais do que diminuir custos e tornar o negócio eficiente, o digital é uma forma de garantir a inclusão bancária. Para orquestrar processos contínuos com início e fim em qualquer canal de relacionamento, Cavalcanti adotou mecanismos sofisticados que transformam as infindáveis informações e dados em ações convergentes nos diferentes canais, considerando o perfil e o comportamento das pessoas.

 

 

 

É sócia sênior do escritório de São Paulo, líder de Advanced Analytics e da Prática de Telecom, Mídia e Tecnologia para América Latina. Marina trabalha com a mais alta liderança de empresas de vários setores em grandes programas de transformação, com foco principal em transformações digitais. Ingressou na McKinsey em 2003, no escritório de Milão e mudou-se para o Brasil em 2010, tendo sido eleita Sócia e Sócia Sênior da firma pelo escritório de São Paulo. Antes da McKinsey trabalhou em Tech e fundou uma startup digital.

 

 

 

Diretor de negócios digitais e CRM na Naturam, o 4o maior conglomerado de beleza do mundo. tem sido responsável por um profundo processo de disrupção na empresa, seja de canais, seja de ações de comunicação e relacionamento, indo até o desenvolvimento de novas plataformas. Murillo é administrador de empresas pela USP com vários cursos de especialização, entre eles em Harvard.

 

 

 

Advogado formado pela USP, Paulo Cerdeira foi o idealizador do projeto Supremo em Números. O projeto nasceu em 2010 da convergência entre a produção empírica de conhecimento jurídico e a aplicação de tecnologias de computação para melhor compreender informações em larga escala. Foi uma iniciativa para aliar habilidades jurídicas e de informática para produzir dados inéditos sobre o Supremo Tribunal Federal. Com dados minerados a partir do que o Supremo decide, são revelados aspectos centrais, quanto e quando acontecem essas decisões. Cerdeira foi Coordenador do Justiça Sem Papel, do Prêmio Innovare, Chefe de Gabinete no Conselho Nacional de Justiça, Subsecretário de Defesa do Consumidor no Rio de Janeiro e Chief Data Officer da Cidade do Rio de Janeiro. É atualmente também Vice-Presidente de Tecnologia e Inovação no Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem.

 

 

 

Com mais de 25 anos de experiência no mercado, a executiva iniciou sua carreira em Marketing na Whirlpool em 1992, trabalhou na Telefonica por quatro anos e, em 2002, ingressou na Microsoft Brasil, onde ocupou diferentes posições durante dez anos. Antes de retornar como presidente em 2015, Paula liderou a Diretoria de Vendas para Pequenas e Médias Empresas do Facebook na América Latina e foi presidente da operação da Apple no Brasil por dois anos. Em sua nova posição como vice-presidente de Vendas, Marketing e Operações da Microsoft América Latina, Paula irá se concentrar em impulsionar os objetivos de negócios e estratégias da Microsoft em torno da transformação digital e inteligência artificial em 35 escritórios de 21 países, com mais de 2.000 funcionários e 80.000 parceiros de negócios em toda a região.

 

 

 

É CEO do PayPal Brasil, filial de uma das maiores empresas de pagamento online do mundo. Paula é uma das principais responsáveis pela recente expansão da multinacional no país, que visa levar vantagem competitiva contra os concorrentes do setor. Paula Paschoal ainda é conhecida por ser uma defensora da igualdade de gênero e da diversidade dentro das empresas. Sendo que a Forbes chegou a elegê-la como uma das mulheres mais poderosas do país. Ao longo de sua carreira, a empresária se notabilizou por sua atuação na área de e-commerce. Sendo que foi diretamente responsável pela evolução da área na Fnac. Desde 2010, Paula trabalha no PayPal Brasil, sendo que, em 2017, ela se tornou CEO do grupo. 

 

 

 

Presidente do Porto Digital, Conselheiro do CESAR, Pierre Lucena é doutor em Administração/Finanças pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e professor de Finanças da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), instituição onde fez graduação e mestrado e coordenou o curso de Administração. É autor de trabalhos publicados na área de finanças, no Brasil e no exterior, e atuou como secretário-adjunto estadual de Educação de Pernambuco. Além disso, foi reitor do Centro Universitário dos Guararapes (UNIFG) e trabalhou como diretor acadêmico regional da Rede Laureate para Pernambuco.

 

 

 

Há mais de 18 anos, começou num cargo de base na área de vendas da Ambev no Brasil, aprendendo sobre o negócio de baixo para cima. Nunca esqueceu sua paixão por desenvolver marcas cheias de propósito e sempre com o pensamento de expandir o negócio através da criatividade que produz resultados e modela cultura. Ele é obcecado em agregar valor para o consumidor. É um verdadeiro cidadão do mundo, trabalhou em diferentes cargos e lugares, incluindo a Inglaterra, Canadá, China, México e o escritório global da AB InBev em Nova York. Atualmente é o Vice-Presidente de Marketing da Ambev no Brasil. Em 2015, Ricardo foi nomeado pela American Advertising Federation para o “Advertising Hall of Achievement”, prêmio da indústria para grandes líderes publicitários de até 40 anos de idade.

 

 

 

Desde os anos 90, Romeo Busarello lidera iniciativas digitais pioneiras que garantem visibilidade a Tecnisa. Com uma verba cinco vezes menor do que a líder do mercado, a estratégia de Busarello, que atualmente é diretor de marketing e ambientes digitais da construtora, trouxe não apenas reputação, mas também resultados de vendas. A Tecnisa foi uma das pioneiras a ter presença nas redes sociais e a usar o Google Earth para prospectar terrenos. Em 1999, foi a primeira empresa do setor a vender pela internet. Hoje conta com um time de corretores exclusivos para o digital, que representam cerca de 33% das vendas da companhia.